A arte de parar de reclamar: como transformar insatisfação em superação

A arte de parar de reclamar

Parar de reclamar – Imagem: Pexels

Parar de reclamar não é fácil, mas se você não tentar nunca vai acontecer. Confira algumas dicas para mudar essa realidade e parar de reclamar de vez.


Boa parte das pessoas cultiva um hábito nada produtivo: reclamar.

Se houvesse um S.A.C. na vida, com certeza os quesitos financeiro e profissional seriam os grandes campeões de reclamações. Isso porque grande parte das pessoas estão insatisfeitas com o que fazem ou o quanto ganham, isso quando não estão desempregadas.

Nós jovens não estamos imunes: pesquisas mostram que o índice de estresse na juventude vem aumentando.

Veja também >> Personal MBA: Você conhece o Manual do CEO?

Entre tensões das mais diversas origens (familiares, acadêmicas, profissionais, entre muitas outras), a tendência é culparmos as pessoas e circunstâncias pelas nossas frustrações. Enquanto que na realidade nada disso importa, especialmente se você não estiver disposto a parar de reclamar e mudar o que tem que ser mudado.

Pode parecer aliviante, mas na verdade reclamar é um hábito vicioso e um padrão mental negativo que, quando cultivado, prejudica a saúde mental e a resolução de problemas.

Ou seja, além de não contribuir positivamente com o que precisa ser resolvido, suas reclamações e pensamentos negativos “modelam” o seu cérebro e mudam a forma como você enxerga a realidade, fazendo com que você se auto-programe a reproduzir continuamente a mesma forma negativa de pensar e falar – segundo estudos do cientista e filósofo Steven Parton.

Ora, se a juventude é justamente um período de escolhas e de desenvolvimento pessoal e profissional intensivo, é hora de eliminar imediatamente esse hábito para aumentar suas chances de ter sucesso no futuro e evitar que você se torne aquele tipo de pessoa que ninguém quer ter por perto.

Confira a seguir algumas dicas para lidar com suas insatisfações diárias sem apelar para as reclamações:

1. Exercite o autoconhecimento

A rotina as vezes no coloca em um modo de vida “automático”, em que dificilmente paramos para avaliar nossos comportamentos. É assim que muitos relacionamentos se desgastam e funcionários são demitidos: quando as pessoas se acomodam em seus hábitos e resistem em fazer diferente e evoluir.

Comece a observar e entender suas habilidades e fraquezas, seja através de testes, terapia, coaching, conversando com professores, pessoas bem sucedidas ou mesmo amigos e colegas de trabalho, que muitas vezes podem notar características que você mesmo ignora.

Periodicamente, tire um momento para si e tente identificar seus objetivos de vida e carreira. Entenda seus obstáculos e permita-se mudar os próprios comportamentos prejudiciais.

2. Evite colocar-se como vítima

Situações difíceis desencadeiam naturalmente um instinto interno de defesa; afinal, ninguém quer se sentir errado ou fracassado. A tendência quando algo vai mal é culparmos imediatamente pessoas ou circunstâncias. Mas você deve abandonar já esse hábito: além de não resolver nenhum problema, ele pode prejudicar o seu crescimento.

Entenda que as situações, por mais negativas que sejam, oferecem a oportunidade de aprendizado e superação. Permita-se desapontar por um segundo, mas em seguida respire fundo e pense na solução do problema. Afinal, colocar-se como vítima é uma forma totalmente negativa e improdutiva de seguir adiante.

3. Faça todos os dias algo que você ama

Você pode não ter a vida ou o trabalho dos sonhos – se é que a perfeição existe – mas em meio às tribulações do dia a dia, você pode e deve dar-se o privilégio de fazer algo que você ama e que te traga bem-estar. Aquele esporte que você sempre amou mas teve que deixar de praticar na adolescência; o jogo de videogame ou série que fazem você esquecer do mundo por alguns momentos; cozinhar seu prato favorito… existem milhares de possibilidades. Essa é uma oportunidade interessante para resgatar sua própria essência e distrair a mente de pensamentos negativos.

4. Medite

Feche os olhos, deixe os pensamentos irem embora pouco a pouco e concentre-se apenas no momento presente. Essa prática milenar aparentemente simples é uma excelente ferramenta de combate ao estresse, facilitando a indução da mente a um estado positivo – já que a prática também é capaz de alterar o funcionamento de algumas áreas do cérebro, segundo o psicólogo Michael Posner, da Universidade de Oregon.

Entre os outros benefícios da meditação comprovados cientificamente estão o aumento dos níveis de endorfinas (hormônio ligado à felicidade), diminuição do ritmo cardíaco, redução da ansiedade e combate à insônia.

5. Mude

Se reclamar já é algo ruim, reclamar sem agir para mudar sua realidade é mil vezes pior. Além de não fazer nenhum sentido.

Está insatisfeito com algo na sua vida? Mude.

Comece com pequenas mudanças positivas na sua rotina. Trace objetivos, tenha um plano de ações e tenha certeza: em algum momento, estas pequenas mudanças se expandirão para patamares muito maiores.

Boa sorte!



Quem escreveu

Giselle Sampaio
Giselle Sampaio

Giselle tem 24 anos, é formada em Relações Públicas pela UNESP e é entusiasta do marketing e da inovação, tendo participado de projetos relevantes em ambas as áreas. Inquieta e trabalhadora por natureza, fez intercâmbio em quatro países, atuou em diversas organizações e deseja compartilhar e aprender cada vez mais sobre sucesso profissional e desenvolvimento pessoal.

Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Agência Sparta