O que você começou a fazer para tornar 2017 melhor que 2016?

O que você começou a fazer para tornar 2017 que 2016

Imagem: Unsplash

2016 está acabando e o ano novo está chegando. 2017 está vindo com o peso de um novo e desafiador ano para você. Você está preparado?


Todos os dias vejo dezenas de pessoas compartilhando em suas redes sociais o quão difícil está se reposicionar no mercado de trabalho, o quão difícil é conseguir uma oportunidade e o quanto sentem falta de alguém que as ajude a se recolocar no mercado de trabalho.

No entanto, será que estas mesmas pessoas já se perguntaram o que elas mesmas podem fazer para se ajudar? 2017 está batendo na sua porta.

Será que elas têm buscado, neste período de desemprego, que também é um bom momento para repensar a carreira, desenvolver as competências que lhes faltam, que podem vir a se tornar diferenciais em seu reingresso no mercado de trabalho?

Um ano atrás, nesta mesma época, eu estava desempregada e buscando novas oportunidades de trabalho. Eu já sabia que não queria mais do mesmo, que queria, de fato, uma oportunidade em uma área ou negócio que fizesse sentido para mim. Eu queria trabalhar em algo relacionado ao meu propósito.

Mas eu também tinha plena consciência de que estava assumindo altos riscos: se não conseguisse um trabalho em até 5 meses eu teria de largar minha pós-graduação faltando apenas 4 meses para concluí-la, porque não teria mais como pagá-la. Ainda assim, eu assumi o risco.

Veja também >> Um festival de desculpas

Para os que estão acostumados a reclamar da falta de oportunidades é importante mostrar números: ao todo fiquei 4 meses e 15 dias desempregada. Neste período eu devo ter enviado uns 100 currículos (isso porque só enviei para oportunidades que fizessem algum sentido para mim) e só fui chamada para 2 entrevistas (uma no primeiro mês de desemprego e outra no terceiro mês).

Entretanto, eu não ficava dia e noite em casa só enviando currículos e me lamentando por não ser chamada para participar de processos seletivos.

Eu busquei desenvolver competências e me aprimorar no que eu sabia que precisava: consegui bolsa integral para fazer dois cursos presenciais (Excel Avançado e Oratória), tirei minha certificação CAPM®, tirei a certificação Six Sigma Yellow Belt (que é gratuita e online), continuei com os trabalhos voluntários que fazia na época (revisão de conteúdo de cursos preparatórios para certificações CAPM® e PMP® e palestras em escolas públicas) e fiz um curso online gratuito sobre Orçamento e Cronograma de Projetos.

E como qualquer outra pessoa, eu também tinha contas a pagar e a cada mês o dinheiro ia diminuindo. No entanto, uma coisa que aprendi com o passar dos anos é que o desespero só nos leva a tomar decisões estúpidas, ficar desesperado não ajuda a arrumar emprego mais rápido e reclamar não torna este período mais fácil ou agradável. Fazer algo a respeito é o que, de fato, ajuda.

Pode aparecer hipócrita falar isso sendo que eu moro em São Paulo que, como muitos dizem, é uma cidade cheia de oportunidades. Porém, em todos os lugares existem oportunidades, só é preciso estar atento a elas.

E, às vezes, basta andar pelo seu bairro para descobrir que elas existem, é só você olhar para o ambiente ao seu redor com outros olhos, com olhos de quem busca algo a mais.

Em suma, a mensagem que gostaria de deixar com este artigo é: veja este momento de desemprego como uma oportunidade de entender sua carreira e seu propósito, de desenvolver-se (pessoal e profissionalmente) e preparar-se para voltar ao mercado de trabalho mais preparado do que quando você saiu. Mostre que você é um profissional resiliente, que sabe lidar com situações difíceis e, principalmente, sabe transformá-las em oportunidades.

Sucesso em 2017! Mude 2017! Seja o que desejar em 2017!

Quem escreveu

Daniela Gomes dos Santos
Daniela Gomes dos Santos

​​Graduada em Administração pela Universidade Ibirapuera desde 2013, pós-graduada em Gestão de Projetos pela Fundação Vanzolini/POLI-USP em 2016, certificada como profissional técnico em Gerenciamento de Projetos (CAPM®) pelo PMI e Six Sigma Green Belt (SSGB) pelo Six Sigma Institute.

Possuo experiência nas áreas Financeira, Compras, Consultoria Financeira (Auditoria Interna), Processos e Projetos, tendo atuado em diferentes indústrias (fonográfica, seguros, vestuário, bancos, educação).

Desde agosto de 2015, tenho atuado como empreendedora social, por meio do Projeto Social Desenvolve!, através do qual levo a conhecimento de estudantes do ensino médio de escolas públicas do Estado de São Paulo, as diversas oportunidades em termos de estudo e ingresso no mercado de trabalho, além de discussões sobre a importância de construir uma carreira com propósito.

Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Agência Sparta