O que fazer quando um problema se repete em nossas vidas

O que fazer quando um problema se repete em nossas vidas

O problema se repete – Imagem: Pixabay

Qualquer situação em nossas vidas é um retrato de nosso nível de consciência. O que fazer então quando um problema se repete de maneira insistente em nossas vidas?


Você provavelmente já viveu situações desagradáveis, problemas mesmo, que persistem ou se repetem. E aprender o que fazer quando um problema se repete é não só um aprendizado útil, mas pode mudar sua vida.

Pessoas que vivem perdendo o emprego, empreendedores que nunca conseguem fechar o mês no azul, funcionários públicos que pegam empréstimo para pagar empréstimo, pessoas que vivem sendo traídas, quem sempre é assaltado… Embora pareçam diferentes, essas situações tem muito em comum: são problemas que refletem uma limitação em nossa consciência. Enquanto a limitação não é superada, você continua vivendo a situação de novo e de novo.

Seja a busca de um emprego, um relacionamento ou um problema de saúde, qualquer problema é um convite para a expansão de nossa consciência.

Qualquer situação em nossas vidas é um retrato de nosso nível de consciência. Provavelmente já te aconteceu de você passar de novo por uma situação que não acontecia há anos e você resolver com a maior facilidade do mundo. Isso aconteceu porque sua consciência já superou a frequência daquela situação especificamente.

Porque não conseguimos superar determinadas situações

Quando você não consegue superar uma situação, é porque você:

  1. Ainda não aprendeu tudo que ela tem a te ensinar.
  2. Não expandiu sua consciência o suficiente para criar as circunstâncias necessárias.
  3. Em algum nível, essa situação ainda te serve, ainda tem uma utilidade para você, ainda que possa ser inconsciente. Qualquer falta ou necessidade, até mesmo a financeira, nos serve de alguma forma, ou nós criaríamos a abundância.

De uma forma ou de outra, tudo acontece dentro primeiro. Você pode acreditar que não está pronto em relação a conhecimento ou preparo, para realizar algo, mas se sua consciência tiver alcançado a frequência correspondente a uma situação, você criará as circunstâncias.

A frequência define a permanência

Nós entramos e saímos da frequência das situações.

Me explico: estar na frequência de algo, é quando o nível de expansão da nossa consciência é correspondente. Quando algo entra em nossa vida, é porque nossos pensamentos, intenções e emoções entraram na frequência de vibração dessa situação antes que ela acontecesse. Já quando algo sai de nossa vida, nós saímos da frequência primeiro e a situação se encerra depois.

Muito frequentemente, nós ficamos ‘batendo cabeça’ com situações desagradáveis que se repetem em nossas vidas, e tentamos resolvê-las repetidamente. Tentamos resolver os sintomas e nos espantamos porque eles voltam, sendo que nunca curamos a causa.

Se você quer saber o que fazer quando um problema se repete, vou te contar:

Você precisa descobrir a causa.

Eu estava há mais de 20 dias com uma conjuntivite que, mesmo seguindo o tratamento indicado, não se curava. Estava seriamente preocupado. Até que, já refletindo sobre o que me levou a escrever esse texto, resolvi descobrir o que essa situação estava querendo me ensinar.

Me dediquei por dez minutos, em silêncio a elaborar e responder perguntas que me ajudassem a compreender os motivos pelo qual eu criei essa situação.

O que é que eu não queria ou estava com dificuldade de ver?

E ao fim, usando as perguntas que vou te ensinar daqui a pouco, ficou clara para mim a resposta.

Ao longo do mesmo dia a conjuntivite começou a sarar.

Não estou com isso querendo ‘vender’ uma cura mágica para problemas de saúde, estou apenas partilhando algo que aconteceu comigo, num problema pouco grave, e que funcionou. Pegue o que fizer sentido para você.

Agora, caso você esteja curioso, quer descobrir quais foram as perguntas que eu usei?

O que é em você, nos seus pensamentos, intenções ou emoções, que cria essa situação?

E para que você consiga descobrir isso, eu te proponho um exercício.

Você vai precisar de papel e caneta e de estar sozinho, sem ser interrompido.

Sente-se e respire profundamente por alguns minutos, até sentir-se relaxado.

Depois, responda por escrito (à mão, claro) as seguintes perguntas:

  1. Descreva a situação ou problema que se repete e te incomoda, em detalhes:
  2. Como geralmente está sua vida logo antes que esse problema surja?
  3. Como o estado da sua vida antes que esse problema surja, te faz pensar e sentir? (exemplo: você pensa que “tudo que é bom dura pouco” ou “dia de muito, véspera de pouco” ou fica ansioso para ver o que vai dar errado porque está tudo muito bem?)
  4. Quando essa situação acontece, o que você diz:
    1. em voz alta?
    2. em pensamentos?
  5. O que essa situação te faz lembrar? E como essas lembranças te fazem sentir?
  6. Como você reage a esse problema quando ele acontece? Descreva seu estado mental e suas atitudes.
  7. Quais os pensamentos, intenções, emoções e atitudes opostos aos que você tem em relação a essa situação?
História de exemplo:

João vive perdendo emprego. Passa mais tempo procurando emprego do que empregado. Antes de perder o emprego, ele costuma pensar, mesmo que jamais fosse assumir para alguém, que é um impostor, e fica ansioso com medo de que as pessoas descubram. Ele lembra muito das privações financeiras que já passou, e tem muito medo de passar novamente. Quando a situação acontece, João tem vários pensamentos muito dolorosos, sente-se culpado, sem valor, inútil, um fardo. Ele diz em voz alta que ‘nunca dou uma dentro’, ‘o que vai ser de mim’, ‘vou depender de novo dos outros’, ‘nesse país a pessoa só dá certo com indicação’, ‘armaram contra mim’, ‘a culpa foi do fulano’. Suas emoções são um misto de tristeza, culpa e revolta.

Exemplo da resposta, baseado na história acima:

Antes, João pode escolher pensar que ele merece estar onde está e merece que situações maravilhosas ocorram uma atrás da outra, para sempre em sua vida. Pode escolher pensar que é um aprendiz e que sabe mais do que o suficiente para realizar suas tarefas e aprender cada vez mais. Ele pode escolher deixar o passado no passado e pensar sim em tudo de maravilhoso que deseja, em imaginar detalhadamente como vai se sentir quando conseguir tudo que deseja. Pode escolher abrir mão da culpa e arriscar ver suas próprias qualidades e valores.

Ele pode escolher dizer coisas boas sobre cada trabalho que tem, listar somente as qualidades e vantagens, ignorar os defeitos e dificuldades.

Pode escolher sorrir quando a tristeza vier e cantarolar até que ela vá embora.

A sua resposta da pergunta 9, deve se parecer com o exemplo acima, no sentido de que você deve buscar soluções para cada pensamento, intenção, emoção e atitude que você identificou nas perguntas anteriores e que geram a situação que se repete em sua vida.

Agora, você precisa colocar isso em prática. Você precisa ativamente escolher pensar, querer e agir, conforme você mesmo acabou de descobrir que cria um novo padrão de realidade

Esse exercício só será útil para ti, se você escolher colocar em prática o que descobriu.

Clareza e especificidade

E lembre-se, caso mesmo com o exercício acima surgir a dúvida sobre o que fazer quando um problema se repete, os princípios da clareza e da especificidade também são válidos aqui: se você tem clareza e especificidade do que você quer, você consegue, caso não, você ainda assim criará diversas situações mas elas refletem muito mais suas limitações do que suas potencialidades.

O que achou do texto e do exercício? Comente os resultados e sua perspectiva!


Quem escreveu

Lucas Liberato
Lucas Liberato

Coach, Palestrante e criador dos Treinamentos CRESCENTE. Apoio empreendedores a despertar o seu potencial ao máximo e ter uma vida de alta performance, com objetividade e resultados mensuráveis. E-mail: contato@sejacrescente.com.br

Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Agência Sparta