Aquele péssimo aluno pode virar seu chefe

aquele péssimo aluno pode virar seu chefe

Imagem: Splitshire

O pior aluno da sala é aquele inquieto que não quer seguir todas as regras. Talvez essa inquietude seja transformadora e ele ainda pode virar seu chefe.


Está começando a mais nova modalidade olímpica: a busca sedenta pelas melhores notas.

O mercado de trabalho está cada vez competitivo e a competição começa dentro da sala de aula. Muitas vezes estimulada pelos próprios professores, os quais, em sua formação, foram orientados a estimularem a competição entre os alunos para ceder-lhes recompensas como pontos extras ou brindes.

Nesse tipo de tática nem sempre se encontra êxito. Temos que observar que o corpo discente é bastante heterogêneo e muito dos alunos podem se sentir repreendidos ou até mesmo incapazes de competir com aquele seu colega tido como o provável laureado.

Veja também >> 5 dicas para não errar ao abrir uma Startup

Alguns alunos se envolvem tanto nesse campo de batalha organizado por alguns professores que se esquecem do mais fundamental: aprender.

Ter boas notas não é sinônimo de aprendizado (mas muitas vezes sim). O fato é que cada um tem sua singularidade e não existe ao certo um método eficaz que possa mensurar a inteligência de uma pessoa.

Já ficou claro que apenas o teste de QI não traz a veracidade sobre a inteligência de alguém, pois são necessários vários métodos de análise para ter-se um resultado apropriado. Na verdade, possuímos inteligências múltiplas e cada qual possui habilidade naquilo que lhe é interessante.

Nem todos os casos de sucesso saíram dos melhores alunos. Veja o caso de Bill Gates:

“Eu reprovei algumas provas, mas meu amigo passou em todas. Hoje ele é engenheiro da Microsoft e eu o dono”. Bill Gates.

Aquele aluno que se forma em 8 anos, num curso de 5, pode ser um melhor empreendedor do que você que se formou em 4 porque adiantou disciplinas (e ainda foi laureado).

Veja também >> 15 incríveis previsões de Bill Gates feitas em 1999 – Precisão assustadora

O mais importante não é a competição dentro da sala de aula ou do mercado de trabalho, o mais importante é você trazer para sociedade algo que lhe traga algum benefício de forma responsável e eficiente. Empreendedores são aqueles que conseguem resolver problemas para um determinado público.

Ao invés de entrar numa arena de guerra, observe o lado de fora do arsenal, lá sim vai estar seu alvo.

Sobre o autor

Antonio Junior
Antonio Junior

Biólogo formado pela Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE e estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco - IFPE. Foi voluntário do Núcleo de Pesquisa, Estudo e Extensão da Transdisciplinaridade- NUPET da UFRPE. Tem experiência na área de educação, sobretudo no ensino de ciências, biologia e educação tecnológica e na área de TI é um eterno entusiasta/estudante da Inteligência Artificial. Também tem experiência em Startup. Prêmios: Menção honrosa no Startup Weekend UFPE 2016 e Menção honrosa na I Mostra do Laboratório de Ensino das Ciências Biológicas (2011).

Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Agência Sparta