Afinal, o que me limita a crescer?

sucessojovem-crenças

Imagem: Picjumbo

Não há como falar em crescimento sem discutir crenças. Nós adquirimos a partir de nossos aprendizados. Não permita que suas crenças impeçam você de crescer.


Olá a todos!

Começo este artigo fazendo uma pergunta, o que você acredita sobre a vida e quais são seus sonhos? Pense um pouco, quando estiver com isso em mente, siga lendo o artigo.

Quando faço alusão ao “crescer” pode-se entender no contexto profissional ou pessoal (até mesmo como pessoa), não faça uma relação somente com “trabalho”.

Não há como falar em crescimento sem discutir crenças.

Crença é aquilo que acreditamos, seja o que for certo ou o que for errado, seja sobre a vida, sobre nós mesmos, sobre o que é ou não importante para nós, sobre o que nos rodeia. Mas e como elas são constituídas em nosso ser? Nós as adquirimos ao longo da vida, a partir de nossos aprendizados.

Fazendo uma referência rápida, há uma estreita relação entre crenças e valores. Valores, por sua vez, é aquilo que nos caracteriza e que buscamos satisfazer. Exemplo, talvez você acredite que todos os políticos no Brasil são corruptos, mas você convive com isso, podemos entender como uma crença sua.

Agora, pense na segurança de sua família. Eu penso que você faz o possível e o impossível para garantir isso da melhor forma ou ao menos tem num nível de preocupação bastante elevado, você valoriza isso e se algo acontece neste âmbito, você fica perturbado. Este exemplo, podemos entender como um valor.

As crenças são o que usamos para direcionar nossas vidas, logo, buscamos nos afastar daquilo que não acreditamos e é neste ponto que gostaria de chegar.

Veja também >> A oportunidade gerada através do medo

Existem as crenças limitantes que sucintamente são coisas que acreditamos ou não e que na verdade nos prejudicam, não nos ajudam a crescer ou ser alguém melhor, até com nós mesmos.

O “bom” é que crenças são mutáveis, como dito anteriormente, adquirimos ou deixamos de ter ao longo da vida a partir de aprendizados. Então, como diria um amigo meu, “há esperanças”.

Usei há pouco um exemplo do que achamos dos políticos no Brasil. Qual é sua opinião para isso? Entenda que esta sua opinião é uma crença, é nisso que você acredita. Mas aí pergunto, e se seu pai, sua mãe ou algum de seus filhos fossem políticos, qual seria sua opinião?

Talvez alguns pensem e darão risadas irônicas “também serão corruptos”, ok, neste caso não consegui causar o impacto que gostaria com o exemplo, mas, penso eu que um boa maioria repensará a respeito de sua crença sobre os políticos.

Outro exemplo, para quem dirige veículos, você fica chateado quando alguém num outro carro fecha sua frente, ou não usa a seta (pisca), ou usa “atalhos” para sair na frente dos outros, desrespeita as leis? Se a resposta for positiva, pergunto, quem é o único prejudicado nesta história, que acaba tendo seu dia mais estressante, que pode vir a descontar este incômodo que se criou no trabalho, na família, nos amigos?

É você mesmo!!!

Ou seja, é uma crença que você tem de que há mal educados no trânsito e não há nada que você de fato possa fazer para mudar isso. Pense que este aborrecimento que você teve ocorreu num dia em que você seria promovido na empresa e aí você chega de mau humor, discute com as pessoas e seu superior acaba de repensar a respeito disso.

Ou pior, pense que isso é uma rotina sua, já virou um hábito e aí você sempre chega de mau humor. Por causa de uma crença limitante que você tem, você é prejudicado.

Veja também >> Overload de Informação – Um Inimigo da Geração Y

Eu poderia seguir dando diversos exemplos, haja vista, machismo, feminismo, preconceitos (de qualquer natureza), procrastinação, esperar pelos outros para tomar atitudes, dentre outros. Eu lhes dei exemplos mais comuns de crenças limitantes, para instigar o pensamento e poder explicar melhor o conceito.

Agora, é importante fazer uma auto-reflexão, fazer uma auto-avaliação e pensar “quais crenças que eu tenho e que podem estar me prejudicando?“, crenças estas que atuam como bolas de ferro amarradas em minhas pernas e me impedem de ir além? Ao conseguir compreender estas crenças, planeje uma estratégia para mudar.

No início do artigo perguntei sobre no que você acredita e quais são seus sonhos. Complemento agora com a pergunta, o que está te limitando à realizar o seu sonho? Quanto custa para você não realizar seus sonhos? Talvez não os consiga realizar ou ver uma possibilidade de realizá-los em virtude de suas crenças limitantes. Então, resolva isso e realize seus sonhos.

Espero que tenham gostado! Grande abraço!

Quem escreveu

Marcelo Schumacher
Marcelo Schumacher

Marcelo Schumacher é MBA e especialista em Gestão de Projetos, Coach e Coordenador de Projetos de uma multinacional de software.

Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Agência Sparta